quinta-feira, setembro 01, 2016


Como faz falta o carinho de um pai na infância…

 


Por que erras, principalmente quando conheces tão bem os caminhos de Cristo? Podem ser muitas as razões, nomeadamente não conheceres (de coração e alma) os caminhos do Senhor. Mas também pode ser porque não curaste os teus traumas.

A primeira grande traição da minha vida veio do meu pai. Apesar de hoje ele se ter arrependido – orei durante muitos anos pela sua conversão –, nunca deixei a ferida sarar por completo. Nos primeiros tempos achei que já tinha perdoado tudo e prova disso era ter aceitado o meu pai de volta.

Mas, na verdade, não tinha curado a falta de carinho, de amor, de atenção de alguém do sexo masculino. O desejo ardente de saber que amor é esse levou-me a desamores, a muita dor.

Até que, quando achava que tudo estava ultrapassado, essa ferida veio ao de cima e deixei-me levar pelo carinho e pela atenção de quem não devia.

Não me arrependo porque nasceu o meu filho, o melhor que tenho na vida. Só pelo meu filho voltava atrás e passava novamente por todos os sofrimentos, pelas perdas, pela angústia, pela violência física e psicológica…

Mas, também é verdade que se tivesse curado a falta de amor e atenção do meu pai, não me tinha deixado levar… Com isto não estou a dizer que não tenho culpa. Tenho! Jesus deu-me todas as armas para me defender deste trauma ….

Enfim, só quero alertar para a importância de curarmos as nossas feridas, mesmo que para isso tenhamos que sofrer ainda mais um pouco. Porque ao curá-las vamos conseguir, com a ajuda de Jesus, encontrar o que nos falta no caminho certo.

Evitamos assim o nosso sofrimento e o de todos os que estão à nossa volta, nomeadamente de um filho…

 
Jesus, cura-nos de todas as feridas! Ajuda-nos a esperar pela cura!

sexta-feira, agosto 26, 2016


Aceita a correção do Pai! Não desanimes!

 
 

«Meu filho, não desprezes a correção do Senhor, nem desanimes quando Ele te repreende;
porque o Senhor corrige aquele que ama e castiga aquele que reconhece como filho».
É para vossa correção que sofreis. Deus trata-vos como filhos. Qual é o filho a quem o pai não corrige?”  (CF Carta aos Hebreus 12,5-7.11-13)

Ninguém gosta de ser repreendido, mas …

Quantas vezes já não agradeceste os castigos e ralhetes dos teus pais quando eras pequeno?

Quantas vezes dizes “Não” aos teus filhos, porque sabes que é o melhor para eles?


Aceitemos, então, a repreensão que vem de Deus. Ele só nos repreende porque nos ama.

segunda-feira, julho 25, 2016


Por que não me dás o que te peço há tantos anos, meu Deus?

 
   Durante muitos anos fiz um pedido incessante a Deus. Pedi de várias formas, fui por caminhos errados, gritei, desesperei, chorei muito… Deus nunca me deu o que Lhe pedi.
 
Este domingo, na homilia, percebi então: nunca me deu, porque o que lhe pedia – apesar de não ter mal nenhum – não é o caminho que Ele quer para mim. Não é o caminho que Ele sabe que me faz realmente feliz.
 
Doeu muito durante anos, esperei muito, mas agora fez-se luz: Não só percebi, como senti que sou mais feliz sem o que pedi.

 Sou mais feliz, magoo menos quem vive à minha volta e não enterro os meus talentos.

 É caso para dizer, às vezes as lágrimas cegam-nos, não nos deixam ver ou escutar Jesus…

 

quinta-feira, julho 07, 2016


 

«Aos homens é impossível, mas a Deus não; pois a Deus tudo é possível.»

 
 
 
Hoje deixo apenas (e se é muito) esta oração! Fá-la por ti e pelo mundo inteiro!
 
Ah ... Não deixes de ler e aprender a Palavra de Deus, pondo-a em prática.


 
 
 

quarta-feira, junho 15, 2016


Ansiedade, pânico ou depressão não são “caprichos”, Jesus pede para dares a mão…

 
 
Os problemas de ansiedade e os ataques de pânico há muito que estavam controlados com medicação. Mas, com a gravidez e uma paragem abrupta desses medicamentos, os sintomas voltaram.
A sensação de deixar de controlar o próprio corpo, a mente, a sensação de mal-estar 24 horas por dia não a deixavam. O pensamento de que o seu filho estava a passar por tudo aquilo ainda a atormentava mais.
A fé nunca esmoreceu, mesmo quando ficou fechada em casa, com agorafobia, sem conseguir colocar um pé na rua, porque o corpo começava a tremer e sentia-se a sufocar.
Agarrando com muita força a mão de Jesus, pediu ajuda a um grupo de missionários e a um padre. Como não podia sair de casa, pediu que fossem ter com ela.
Resultado final: Esta mulher já teve um filho lindo há 4  anos. Mas ainda hoje espera pela visita dos missionários e do padre… Graças a Deus, não se afastou de Deus, mas … podia ter acontecido…

 

Esta história bem verdadeira mostra uma realidade triste. Nós, Igreja, ainda menosprezamos certas doenças do foro psicológico, como depressão, ansiedade ou síndrome de pânico.

Consideramo-las “caprichos e manias das pessoas” ou “falta de fé”. Mas não é nada disso. Estas doenças existem, afetam cada vez mais pessoas e é preciso que, nós Igreja, saiamos das nossas capelinhas, nos informemos melhor sobre estas doenças e ajudemos quem mais precisa.

Até que ponto, nós Igreja, abandonamos e menosprezamos quem sofre destes problemas mentais que a sociedade considera “luxos” ou “manias de quem nada tem para fazer”? Será que um dia Deus nos vai dizer que não Lhe demos apoio quando Ele mais precisava?

 
PS: Falo no geral, obviamente que há muitas pessoas (Igreja) que acolhem estas mulheres e homens. Só quero mesmo alertar para a necessidade de se dar mais atenção à Saúde Mental e ao apoio ao domicílio dentro da Igreja.

terça-feira, maio 24, 2016

Amo a Deus ou às coisas que me dá ou me pode vir a dar?



Após a homilia de domingo, fiquei a pensar nesta questão:

Qual é a tua relação com Deus? Ama-Lo mesmo ou ama-Lo pelo que te dá?

Seria bom pensarmos nisto, porque podemos estar a amar as coisas que Deus nos dá ou esperamos que nos venha  a dar, em vez de, em primeiro lugar, O amarmos.

Sê sincero, não tenhas medo da resposta e de enfrentar a tua consciência e o teu inconsciente e responde. Depois, entrega a resposta a Ele, para te moldar como barro nas Suas mãos.


quarta-feira, maio 04, 2016


Deus também fala através do Jornal do Metro …



Ontem, a minha mãe foi ao médico e este receitou-lhe um suplemento para as dores fortes, que ela tem 24 h por dia. Como a minha mãe tem vários problemas de saúde, nomeadamente uma doença rara no sangue, não pode tomar todo o tipo de medicamentos. Por isso, leio sempre a bula.

Vi o nome do suplemento na receita e, como não podia ter acesso à net, acabei por deixar para hoje, porque só hoje se podia ir à farmácia.

Quando ia a caminho do trabalho, peguei no jornal do Metro e … lá estava uma publicidade a um suplemento similar, com a mesma substância ativa. Comecei a ler e, para meu espanto, essa substância provinha do camarão e de crustáceos. Problema: a minha mãe faz alergia ao caranguejo, faz mesmo reação anafilática (reação alérgica muito grave que pode levar à morte).

Acabei depois por confirmar esta informação no trabalho e, graças ao que Jesus me disse na página de um jornal, dei vida à minha mãe. Pode parecer apenas um apontamento, mas é a minha forma de dar testemunho da maneira como Jesus livrou a minha mãe de um problema muito grave, que a podia levar à morte.


Muito obrigada, Jesus! Dá-nos o Teu Espírito para Te escutarmos em todo o lado.