sexta-feira, dezembro 13, 2019



 Palavra de Deus… Que atenção Lhe damos? Até que ponto A conhecemos?



Há uns anos, na catequese, perguntaram-me se podia ficar naquela hora com um outro menino, amigo de um dos meus catequizandos. Disse que sim, como é óbvio. Esse menino frequenta (ou frequentava) uma das igrejas evangélicas. Procurei acolhê-lo da melhor maneira, explicando-lhe que podia participar se quisesse e que respeitávamos as diferenças.

Por momentos achei que ele queria apenas ficar no seu canto, mas não foi assim, e quis participar. O tema era os 10 Mandamentos. Com apenas 8 anos, ele falou da Bíblia de uma maneira extraordinária. Sabia bem muitas das passagens. (Atenção, neste post não me vou focar nas diferenças de interpretações, apenas quero chamar a atenção para este conhecimento com apenas 8 anos.)

Foi um encontro de catequese muito gratificante, porque no centro esteve o mais importante: o amor de Jesus. Mas aquele menino fez-me pensar como nós, cristãos católicos, devíamos dar mais atenção à Palavra de Deus. Graças a Deus, as coisas estão a mudar e dá-se cada vez mais importância ao ensino da Palavra nos grupos de oração. Mas ainda há tanto por fazer…

Ainda no outro dia pedi ajuda a um familiar –  de Missa dominical, terço diário – e ele não me ajudou, porque isso implicava ter contacto com uma realidade mais dura… No fundo, o que me disse foi que não se queria misturar com certas realidades… Para tentar trazê-lo à razão – quem não comete erros – falei-lhe de Jesus quando nos diz em Mt 25: “Sempre que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, a mim mesmo o fizestes.”

Esse meu familiar olhou para mim, muito admirado e disse-me: “Mas é mesmo assim? Não conheço nada disso.”

Partilho isto para nos fazer pensar. Até que ponto conhecemos a Palavra de Deus, mesmo quando somos assíduos na Missa? Já pedimos ajuda para A conhecer melhor? Sem A conhecer, dificilmente vamos conseguir por em prática o Seu Amor, que foi contra muitas das ideias feitas da sociedade de então. As ideias feitas (e erradas aos olhos de Deus) continuam a existir. Para as combatermos, temos de conhecer e entender a Palavra.

Ajuda-nos, Senhor, a conhecer-Te melhor, principalmente para partilharmos a maravilha que é a Tua Palavra! Palavra de Cura, Renovação, Liberdade, Alegria Plena, Misericórdia… Ámen.



sábado, dezembro 07, 2019


Mesmo ferida com a minha indiferença, a Mãe nunca me abandonou e conduziu-me a Jesus!




“Nossa Senhora está sempre contigo.” Ouvi isto mais que uma vez, mas  numa fase muito inicial do meu voltar à casa do Pai, ainda tinha a mente e o coração obscurecidos pela ideia de que Maria nos afasta de Jesus. Mente e coração baloiçavam entre a ternura da Mãe que me levava, em pequena, a segurar com o máximo de cuidado e amor a vela na Procissão das Velas, em Fátima, e as ideias descontextualizadas de quem não A conhece bem. 

Mas Ela, cheia de paciência e de ternura, esperava por mim e orava por mim, sem se cansar junto do Seu Filho Jesus. Acompanhou-me sempre: na alegria, na doença, quando vi a morte à frente, quando me senti sozinha, quando me senti demasiado dona de mim própria...

Como verdadeira Mãe, mesmo ferida com a minha indiferença, não se cansou de mim. Continuou a proteger-me e esperou que as sombras desaparecessem. Melhor, aproveitou as minhas dúvidas para A conhecer como Ela o é realmente: amor, misericórdia, ternura ... um verdadeiro colo de Mãe. E não apenas uma ideia ou uma tradição...

Agradeço-Lhe por me ter mostrado que quando oro a Ela não estou a trair Jesus. Cheguei a sentir isso há uns anos... Ao contrário, a Mãe tem-me mostrado cada vez mais Jesus. Nas aparições, nomeadamente em Medjugorje, não nos pede que A adoremos, mas que façamos tudo o que Jesus nos disser (Cfr Jo 2, 5

Resta-me pedir-Lhe que mais irmãos A conheçam, que sintam o Seu colo e como Ela os conduz a Jesus. Amo-te, minha Mãe querida!


quarta-feira, dezembro 04, 2019


6 de dezembro: Um dia de oração pelo Mal que aflige a Igreja Católica






E que tal dedicarmos o dia 6 de dezembro, a próxima sexta-feira aos erros da Igreja Católica? É este o pedido de um grupo de exorcistas norte-americanos. Jejum, abstinência, oração (nomeadamente o Rosário), adoração ao Santíssimo, Eucaristia, amor, misericórdia... Cada um sabe como pode participar nesta oração conjunta pelos males que afligem a Igreja por causa do erros que todos cometemos.



Estes sacerdotes pediram também para que os fiéis ofereçam nessa jornada a oração do Santo Rosário e o ato de consagração da humanidade ao Sagrado Coração de Jesus e o ato de reparação ao Sagrado Coração de Jesus.



Vamos colaborar? 😊






segunda-feira, dezembro 02, 2019


Será que estamos a adorar o padre em vez de Deus? A propósito de umas notícias ...





Há uns anos, Deus deu-me uma lição que nunca mais me esqueço. Ao pé do trabalho tinha uma Igreja, onde costumava ir à Missa quase diariamente. Habituada a um padre mais carismático e alegre na minha paróquia, ali nem sequer havia homilia. Sem coro, a Missa começava e terminava num instante. Inicialmente fez-me muita confusão, mas depois percebi o que Jesus me queria mostrar: Participas na Missa por causa de Mim, Jesus, não por causa do padre ou do coro.


Estou a partilhar isto por causa das notícias de paroquianos que não aceitam a saída do padre para outra paróquia – às vezes é o próprio padre que também não quer sair. Preocupa-me seriamente este tipo de situações. Afinal, somos Igreja por amor a Jesus ou por causa do padre? Será que não estamos a adorar o padre em vez de Deus?



A imagem que se transmite a quem está de fora é de pura desunião. Não é uma imagem de amor e de humildade, mas de discórdia. Lembremos as palavras de Jesus: “Todo o reino dividido contra si mesmo será devastado” Mt 12, 25. Lembremos que Jesus nos diz: “Dou-vos um novo mandamento: que vos ameis uns aos outros assim como Eu vos amei. Por isto é que todos conhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros.” Jo 13, 34-35



Nesta discórdia cria-se o ódio, não o amor. Compreendo que não seja fácil para os paroquianos e para o padre aceitar a mudança, porque criam-se ligações de amizade e, por vezes, até familiares. Mas é a Vontade de Deus que tem de se cumprir, não a nossa, como dizemos no Pai-Nosso.



Que Jesus nos ajude a aceitar a Sua Vontade que, apesar de ser a melhor, continuamos a querer rejeitar a cada dia. E que nas paróquias impere a paz e o amor, apesar das imperfeições próprias de cada ser humano. Ámen.


segunda-feira, novembro 18, 2019


A ilusão do fim do sofrimento vs a ilusão da felicidade eterna neste mundo




“Pare de sofrer.” Esta mensagem é comum em muitas religiões, movimentos, filosofias, etc. Num mundo caótico é obviamente tentadora, principalmente quando as “soluções” que nos dão são à base do facilitismo e do imediatismo.

Qual é o problema? As suas consequências a médio e longo prazo. Jesus não nos pede para fugirmos da realidade, mas para a enfrentarmos com a Sua ajuda. Mesmo que a dor faça parte num primeiro momento, é melhor enfrentá-la do que recalcá-la. Porque quando voltar – e vai sempre voltar – vai ser muito mais tempestiva e irá deixar marcas mais profundas.

Jesus não escondeu que o sofrimento faz parte desta vida. Mostrou-o com a sua própria vida, na cruz, e por palavras: “No mundotereis tribulações; mas, tende confiança: Eu já venci o mundo!” Jo 16, 33 Mas também nos prometeu – e Ele jamais mente – que “Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos” Mt 28, 20

Não nos deixemos assim iludir com a falsa promessa de que vamos deixar de sofrer. Não nos deixemos levar por falsas doutrinas. S. Paulo já alertava: “Mesmo no meio de vós, se hão de erguer homens de palavras perversas para arrastarem discípulos atrás de si”. At 20, 30

Mas também não se deve entrar no extremismo oposto, ou seja, procurar o sofrimento. Jesus diz-nos que veio para que tenhamos “vida e vida em abundância” Jo 10, 10. S. Paulo alerta para a importância de nos alegrarmos sempre, dando sempre graças por tudo:  

“Por nada vos deixeis inquietar; pelo contrário: em tudo, pela oração e pela prece, apresentai os vossos pedidos a Deus em ações de graças. Então, a paz de Deus, que ultrapassa toda a inteligência, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.” Fl 4, 6-7

Soframos o que tem mesmo de ser, sempre apoiados em Jesus e Maria, mas não provoquemos o sofrimento sadomasoquista, que nos afasta da alegria de Jesus. O segredo para o conseguir é meditar na vida de Jesus e ver como Ele reagia a cada momento. É fácil? Pessoalmente, consigo fazê-lo? Nem sempre. Mas não há nada como tentar e treinar, treinar, pedindo a ajuda do Espírito Santo. Não vamos conseguir a perfeição aqui, mas vamos com certeza caminhar para a meta mais importante: a Vida Eterna.



sexta-feira, novembro 08, 2019


 “Nada temas, porque Eu estou con­tigo; não te angusties, porque Eu sou o teu Deus” Is 41, 10




Há uns anos, numa semana de missão em Fátima, o cansaço quase me venceu. Lembro-me que corri para uma capelinha, onde não estava ninguém. Encostei-me à parede, bem perto do Sacrário.

Ali fiquei no colo de Jesus durante um tempo. Simplesmente fiquei… Foi das melhores orações! Senti que Jesus me acolhia no Seu colo, que me acalmava e que me dizia: “Nada temas, porque Eu estou con­tigo; não te angusties, porque Eu sou o teu Deus. Eu fortaleço-te e auxilio-te; e amparo-te com a minha mão direita e vitoriosa.” Is 41, 10

 Naquele silêncio tão cheio de palavras senti a paz de Jesus e voltei para o que estava a fazer. Às vezes complicamos demasiado a oração. Achamos que temos de dizer muitas palavras, mas o que Jesus nos diz é: “Nas vossas orações, não sejais como os gentios, que usam de vãs repetições, porque pensam que, por muito falarem, serão atendidos. Não façais como eles, porque o vosso Pai celeste sabe do que necessitais antes de vós lho pedirdes.” Mt 6, 7-8

Lembro-me muitas vezes daquela oração… E como é bom ver que quer seja no quarto, na rua, no trabalho, nos transportes, posso sempre sentir o colo de Jesus! Esse é outro erro em que caímos muitas vezes. Obviamente que devemos visitar Jesus no Sacrário - que está sempre tão abandonado – mas também devemos viver a Sua presença em qualquer lugar. Jesus está vivo! Se acreditamos nisso, por que havemos de falar com Ele apenas na Igreja?

Como disse Jesus à samaritana: “Mas chega a hora - e é já - em que os verdadeiros adoradores hão de adorar o Pai em espírito e verdade, pois são assim os adoradores que o Pai pretende.” Jo 4, 23

Que Jesus nos ajude a sentir este Seu colo em qualquer lugar em que nos encontremos, porque Ele vê-me “quando caminho e quando descanso; estás atento a todos os meus passos”! Sl 138 (139), 3. E que, juntamente com a Mãezinha, nos ensine a orar em verdade e espírito! Que nos ensine a orar para sentirmos a Sua paz, mesmo no meio da tribulação, mas também para O amarmos com um coração puro! Que a nossa oração não seja apenas um pedir constante, mas gestos de amor para com este Deus Único e Maravilhoso! Ámen.


quinta-feira, outubro 31, 2019


Alegria e muita oração é a melhor resposta!


 


Muita oração e muita alegria é o melhor que podemos dar a Jesus e a Maria neste dia de Halloween que é para, os satanistas, o início do ano satânico.

Reparemos as chagas de Jesus e as dores de Maria neste dia e que o Preciosíssimo Sangue de Jesus e o Manto de Nossa Senhora da Paz nos protejam hoje e sempre com a ajuda dos Seus santos e anjos. Ámen.

Um vídeo que nos ajuda a compreender melhor o significado deste dia para os cristãos.