quarta-feira, novembro 12, 2008

Somos mesmo cristãos?


Vale a pena re(ler) esta passagem: Mt 25, 14-30. E depois pensem nisto que ouvi no último encontro do Seminário Vida Nova do Espírito do Renovamento Carismático Católico, que está a decorrer na Igreja de Nossa Senhora do Amparo, em Benfica (Lisboa).

Todos sabemos que há pessoas a sofrer. Umas só podemos ajudar com oração, mas há outras que podemos ajudar com orações e acção. Mas nem todos tomamos a mesma atitude.


Destas três atitudes com qual te identificas mais (não se esqueçam de re(ler) a passagem da Bíblia):
1 – Olhamos, vimos quem sofre, mas ficamos com a nossa fé. Rezo para mim e para os meus, vou à Missa ao domingo ou de vez em quando, rezo uma orações rápidas e só penso na minha salvação.

2 – Olhamos, vimos quem sofre. Além da oração (que deve haver sempre), não mexo uma palha perante as situações que tenho à minha frente e que, para além de oração, exigem acção. Deus Pai coloco-as no nosso caminho para as resolvermos. Não nos pede apenas orações, como nos casos em que não podemos estar presentes (por exemplo, uma guerra). Achamos que devemos ajudar, mas ficamos apenas pela oração. Os outros que se mexam. Podemos também pensar: já há outros a ajudar. Não preciso fazer nada.

3 – Olhamos, vimos quem sofre. E, para além da oração, agimos nas situações que estão ali à nossa frente. Damos de comer, beber, vestimos os nus, consolamos os tristes, falamos da Palavra de Deus… Como costumo dizer: há oração, palavra e acção.

Pensemos em cada atitude:
1- Como podemos dizer que somos cristãos, se só pensamos em nós e nos nossos? Como podemos dizer que seguimos Cristo (ser cristão), se só pensamos na nossa salvação?

2- A oração é essencial. Mas, Jesus mostra-nos vezes sem conta que, para além da oração (que deve haver sempre), há situações em que temos de fazer algo mais. Neste segundo grupo, rezamos, mas ficamos a meio da nossa missão... Se a pessoa está ao pé de nós, Jesus pede-nos oração, mas também palavra e acção.

3- Assim somos cristãos. Com a ajuda de Deus Pai, temos oração, palavra e acção e sabemos o que fazer em cada situação. O Espírito Santo ilumina-nos. Sabemos que a oração deve existir sempre, mas, em muitas situações, devemos também ter palavra e acção.


Então, com que atitude (ou atitudes) nos identificamos mais? Vale a pena pensar nisto, ver onde erramos, arrependermo-nos, irmos à Confissão e mudarmos a nossa atitude, com a ajuda de Cristo e Maria.

13 comentários:

Laurie Marie disse...

Devemos nos comprometer sempre, para que os nossos talentos sejam mutiplicados, senão vejamos:

"Dar-se-á ao que tem e terá em abundância. Mas ao que não tem, tirar-se-á mesmo aquilo que julga ter".

Beijos no coração.

Anita disse...

Obrigado pela visita.
Gostei muito do post e faz-nos pensar muito.
Beijinhos e volta sempre.
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor frataernal)

Viviana disse...

Olá Maria João,

Que Deus nos ajude a estarmos atentos e vigilantes, para que possamos corresponder áquilo que o Senhor espera de cada um de nós, nolugar onde Ele nos colocou.

Um abraço
Viviana

Viviana disse...

Olá Maria João,

Que Deus nos ajude a estarmos atentos e vigilantes, para que possamos corresponder áquilo que o Senhor espera de cada um de nós, nolugar onde Ele nos colocou.

Um abraço
Viviana

Mari disse...

Sim Maria, temos que mudar de atitude ou ter atitude, penso que demos um pequeno passo.
Beijos amiga do outro lado do oceano!
Beijos do rio para vc!

Ecclesiae Dei disse...

O que eu mais gosto é que sempre que participas de um retiro, todos nós acabamos por aprender muito! Espero que faças muitos desses, e continue com esse grande coração, partilhando conosco!
Sobre os e-mails, o google traz a possibilidade mandar as publicações dos blogs por e-mail, então, logo no alto da entrada do meu blog, tem uma caixinha, para quem quiser receber as postagens por e-mail, é só colocar o e-mail lá e clicar no botão "quero receber". Hoje, pela graça de Deus, tem inumeros endereços de e-mail cadastrados lá, e cada vez que eu faço uma publicação, todos recebem automaticamente. Achei legal, por ser uma nova forma de evangelizar!! Fica com Deus, abraços!

joaquim disse...

Claro Maria João, que todos sabemos a resposta, o problema é muitas vezes pô-la em prática e nós todos somos peritos em arranjarmos desculpas para não o fazermos.

O verdadeiro discipulo é aquele que adora, ora e labora!

Rezo pelos frutos do Seminário de Vida Nova no Espírito.

Beijo amigo em Cristo

Ailime disse...

Ao tentarmos fazer a nossa conversão estamos também a trabalhar no sentido de nos fortalecermos com a oração, para que com a palavra a nossa acção seja mais eficaz.
Eu como mãe de um ex-seminarista já fiz retiros em seminários e foram na verdade momentos muito gratificantes para toda a família!
Que Deus te ajude a ti e outros jovens a descernir na direcção do Senhor e que todos saibamos pôr em prática tudo o que Ele nos ensinou!
Um beijo na Paz do Senhor!

Fa menor disse...

Amiga,
o medo de nos comprometermos faz-nos fraquitos. É claro que não temos todos os mesmos "talentos", nem em quantidade nem em qualidade,
mas devemos trabalhar com os talentos que temos com todo o esforço que nos é exigido, porque ao fazê-lo, não fazemos mais do que a nossa obrigação. Se não o fizermos temos que dar contas ao Senhor que no-los confiou. Não são nossos, por isso não os podemos guardar como coisa nossa, mas colocá-los ao Serviço do Reino de Deus.

Gostei da tua reflexão no sentido da "oração, palavra e acção".

Beijos em Cristo e Maria

osátiro disse...

POr falar em sofrimento:
500 Cristãos foram assassinados na Índia desde Agosto, só no Estado de Orissa.

Enviemos mails para o "Chief-Minister" de Orissa.



Email do gabinete do "Chief Minister":

csori@ori.nic.in

Bem-Haja.

Kenosis disse...

Maravilha, minha linda!!!Como podemos dizer que amamos a Deus que não vemos, se não amamos ao nosso próximo que vemos, esfacelados, sofrendo, sozinhos, abandonados, tantas vezes imersos num enorme vazio ou desespero interior, que não enxergamos?...Como sermos bons cristãos, como sermos servos amados, discípulos do Amor se não nos importarmos, se não nos deslocarmos de nós mesmos, e saindo do alto de nosso comodismo e proteção,se não amamos do jeito que os irmãos precisam serem amados e não do jeito que nos sobra e não nos incomoda? Sempre penso que amar é se importar, amar é fazer...Deus Amor lhe pague pela linda e edificante partilha!!! Mil bjos em seu coração!

Paulo Costa disse...

Creio que todos nós precisamos de ouvir estas palavras duras e verdadeiras. Precisamos que alguém nos desperte, nos recorde a essência do Evangelho. Palavras que nos ajudam a mantermo-nos vigilantes e atentos ao real, ao essencial.
Obrigado, Maria João, por estas palavras.

Abraço fraterno!

Maria Pires disse...

Olá amiga,é verdade que muitas vezes falamos com Deus mas e só pedir e mais pedir,e não temos nada para lhe ofereçer?E preciso estar alerta para ver Deus até no nenor sinal.beijos em Cristo e Maria